Campanha de eficiência energética pode evitar racionamento no período da Copa

Compartilhe:

Facebook Twitter Google+ LinkedIn Email

Publicada em: 18/05/2014

Ministro Lobão admite que pode ser necessário incentivar a redução do consumo


A hipótese de promover uma campanha para economia de energia já é considerada pelo Ministro de Minas e Energia, Edison Lobão. A firmação foi feita em entrevista concedida ao Wall Street Journal, e comentada em reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, em que o ministro explica que, caso não ocorram chuvas suficientes nos meses de abril e maio, para recuperar os reservatórios, o governo poderá lançar um apelo para que a população reduza voluntariamente o consumo.

Contrariando a opinião dos analistas, Lobão mantém a argumentação de que não existe ameaça de racionamento, dúvida surgida com a preocupação de garantir a realização dos jogos da Copa do Mundo da FIFA, entre junho e julho, sem contratempos por falta de energia. Apesar da convicção do ministro, foram instaladas duas subestações em cada um dos 12 estádios onde vão acontecer os jogos, tudo para garantir que não haja apagões durante a competição.

Segundo o ministro, o racionamento nos moldes em que aconteceu em 2001 não é uma possibilidade, o que seria "uma dor de cabeça" para a presidente Dilma Rousseff, por conta da realização da Copa do Mundo e em um ano em que ela pretende a reeleição. Lobão comentou inclusive, que caso o racionamento seja inevitável, não será adotada a medida de cobrança de multa para quem não economizar. "Não estamos trabalhando com a hipótese de racionamento de energia. Temos a convicção de que isso não será necessário", declarou Lobão.

Mesmo com alegações de analistas de que o País passa pela crise mais séria de escassez em décadas e que o governo estaria atrasado para iniciar medidas preventivas, em vez de aguardar pelos meses de abril e maio, o ministro Lobão insiste que ainda é cedo para considerar atitudes mais drásticas. Ele defende que seria prematuro tomar qualquer decisão e que nada será feito até que seja comprovadamente necessário.

Enquanto esse prazo avança, persiste a necessidade de que governo, iniciativa privada, ONGs, entidades, e a sociedade em geral se posicionem diante das questões de energia e apresentem questionamentos, cada qual com suas contribuições. Fato é que quaisquer decisões refletem na economia, nos negócios e também no cotidiano do cidadão, e é também o que motiva discussões sobre a importância do consumo consciente. 

É neste contexto que a ABESCO, apresenta suas propostas, promovendo  no segundo semestre, o 11º Congresso Brasileiro de Eficiência Energética (COBEE) e ExpoEficiência, maior evento brasileiro voltado à disseminação de tecnologias e oportunidades em eficiência energética. As empresas interessadas em investir neste setor poderão participar de palestras, debates e conhecer novas tecnologias, produtos e serviços. A feira destinará uma área para o COBEE Experience, espaço dedicado à apresentação de inovações tecnológicas promovidas pelas empresas participantes  da ExpoEficiência, com o objetivo de oferecer ao público a chance de vivenciar a aplicação de soluções em Eficiência Energética nas atividades relacionadas ao seu dia a dia. 

Especialistas brasileiros e estrangeiros discutirão elementos que passam por melhores práticas empresariais, eliminação de perdas em eletricidade, gás e água e a adoção de equipamentos eficientes e processos automatizados. Esses e vários outros aspectos diretamente ligados à questão financeira, otimização de custos e, por consequência, maior competitividade no mercado.

"2014 é um ano de inovações e oportunidades para empresas e profissionais visionários que identificam em eventos deste porte o caminho para abertura de novos negócios e fortalecimento de network", comenta Rodrigo Aguiar, presidente da ABESCO.



Sobre o evento:

11º Congresso Brasileiro de Eficiência Energética (COBEE) e ExpoEficiência 21 e 22 de julho de 2014 08h30 às 18h00Centro de Convenções Frei Caneca - São Paulo