Na Índia, energia solar já tem o mesmo preço que o carvão

Compartilhe:

Facebook Twitter Google+ LinkedIn Email

Publicada em: 29/04/2016

Em 2020, espera-se que esta seja a fonte principal de energia do país. O objetivo é diminuir a emissão de gás carbônico e garantir o acesso de toda a população à eletricidade

A Índia tem um problema sério de energia. De seus 1,2 bilhão de habitantes, 300 milhões não têm acesso à rede elétrica nacional, e grande parte das cidades estão sujeitas a apagões. Além disso, 60% da energia do país é gerada pela queima de carvão - um processo que emite muito CO2. O país tem 13 das 20 cidades mais poluídas do mundo. Mas o ministro da energia, Piyush Goyal, afirmou que a energia solar pode ser a solução: pois alcançou um custo de produção quase igual ao do carvão.

Segundo Goyal, o preço do quilowatt-hora de energia solar atingiu 6 centavos de dólar, sendo que o do carvão varia entre 5 e 6 centavos. Esse barateamento aconteceu porque, já há algum tempo, o país vem investindo em tecnologia e em infraestrutura para a implantação da energia solar no país - tudo por causa de uma promessa do primeiro ministro, Narendra Modi.
Desde 2014, Modi vem trabalhado em um plano para substituir o carvão, principal fonte de energia da Índia, pela energia solar até 2022. A ideia é tornar o país capaz de gerar 100 gigawatts de energia solar no período - para se ter uma ideia, os EUA só conseguem produzir 20. O objetivo é ambicioso e difícil de alcançar, já que algo assim nunca foi realizado antes por outras nações. 


Mesmo assim, a Índia tem trabalhado duro para cumprir a promessa: no ano passado, construiu o primeiro aeroporto do mundo que funciona apenas com energia solar, que fica na cidade de Cochim, e projetou a maior estação de produção de energia solar do mundo, que ficaria no estado de Madhya Pradesh. Além disso, durante a Conferência das Partes (COP-21) da Convenção das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima, a Índia também assinou um acordo junto com os 121 outros países que mais poluem no mundo, com o objetivo de unir forçar para investir em energia solar - uma iniciativa que tem sido chamada de aliança solar.

Com todo esse investimento, o custo de produção caiu - e a projeção da Índia é que em 2020 o preço da energia solar esteja 10% mais baixo que o do carvão. É uma boa notícia, inclusive porque o consumo de energia da Índia deve dobrar até 2030. E o planeta também agradece.

Fonte: Super Interessante

Matérias relacionadas: