Estudos comprovam que Green Buildings melhoram saúde, bem-estar e produtividade

Compartilhe:

Facebook Twitter Google+ LinkedIn Email

Publicada em: 17/11/2014

Novo Relatório do World GBC demonstra relações diretas entre o projeto e materiais em edifícios comerciais com a saúde e produtividade de seus funcionários. 

Recentemente um novo relatório do World Green BuildingCouncil (World GBC) aponta provas contundentes de que o projeto de um escritório causa impacto significativo na saúde, bem-estar e produtividade dos funcionários. 

Saúde, bem-estar e produtividade em escritórios: O próximo capítulo para a construção verde descobre que uma série de fatores, desde a qualidade do ar e iluminação, a vista da área externa e a disposição do espaço interior, podem afetar a saúde, satisfação e o desempenho de funcionários nas empresas.

O relatório, patrocinado pela JLL, LendLease e Skanska, também apresenta um conjunto de ferramentas simples que poderão ser utilizadas pelas empresas para mensurar a saúde, o bem-estar e a produtividade de seus edifícios, além de informar a tomada de decisão financeira.

A compreensão da relação entre trabalhadores e seus locais de trabalho é importante para o desenvolvimento de edifícios de mais qualidade, mais saudáveis e ecológicos, aspectos valorizados pelos investidores, projetistas e ocupantes.

Considerando que os salários e benefícios são responsáveis, normalmente, por 90% das despesas de uma organização, eventuais custos de construção ou de ocupação mais elevados acabam sendo compensados pela melhora de desempenho dos funcionários. 

"É evidente a relação entre um bom projeto de escritório com a melhoraria da saúde, bem-estar e produtividade da equipe. Há, sem dúvida, uma oportunidade para investimentos no desenvolvimento e ocupação mais saudáveis de edifícios verdes." Jane Henley, CEO do World Green BuildingCouncil

"A maioria das empresas já possui uma diversidade de informações que podem ter impacto imediato sobre as suas duas maiores despesas, as pessoas e os edifícios. Compreender a relação entre os dois poderá ajudá-las a alcançar uma vantagem competitiva significativa." Jane Henley, CEO do World Green BuildingCouncil

"Os grandes clientes corporativos estão reconhecendo os benefícios nos negócios e ganhos em produtividade em edifícios que alcançam o melhor rendimento de seus funcionários e estão cada vez mais levando isto em consideração ao realizarem as decisões estratégicas imobiliárias. Este relatório reforça a visão de que o impacto de um edifício em seus ocupantes deve ser incluído nas considerações financeiras." Claudia Hamm, Chefe de Trabalho Estratégico (EMEA) na JLL

O relatório pode ser baixado através do site do WorldGBC 

Resumo do documento

- Qualidade do ar interior: Várias pesquisas apontam que a melhoria na qualidade do ar interior (baixas concentrações de CO2 e de poluentes e altas taxas de ventilação) pode elevar a melhoria da produtividade de 8 a 11%.

- Conforto térmico: Pesquisas demonstram que o conforto térmico tem um impacto significativo sobre a satisfação no local de trabalho e graus moderados de controle individual sobre conforto térmico podem causar melhoria na produtividade.

- Iluminação e vista da área externa: Vários estudos têm estimado ganhos na produtividade como resultado da proximidade de janelas; especialistas acreditam que vistas externas é, provavelmente, o fator mais significativo para o ganho de produtividade, principalmente quando a vista oferece uma relação com a natureza.

- Ruído e acústica: A pesquisa revela que quando o ruído provoca uma distração indesejada é praticamente impossível ser produtivo em um escritório baseado no conceito moderno de conhecimento. Esta pode ser a principal causa de insatisfação entre os ocupantes.

- Layout interno: A forma como o interior de um escritório é configurado (incluindo densidade e configuração do espaço de trabalho, circulações, espaço social e estação de trabalho) possui um impacto sobre a concentração, a colaboração, a confidencialidade e a criatividade.

- Atividades e exercício: A saúde pode ser melhorada através da prática de exercícios. Logo, um prédio que ofereça atividades, promovendo o acesso a serviços e comodidades como academia, depósitos para bicicleta e espaços verdes, poderá estimular um estilo de vida mais saudável ??a seus ocupantes.


Ferramentas para medição da saúde, bem-estar e produtividade.


- Métricas financeiras: Absenteísmo, rotatividade de pessoal, composição da receita (por departamento ou por edifício), custos médicos e de reclamações e queixas físicas.

- Métricas perceptivas: Estudos que apontam uma série de atitudes de autorrelato para a saúde, bem-estar e produtividade no local de trabalho podem conter uma grande quantidade de informações para a melhora do desempenho do escritório.

- Métricas físicas: medições do ambiente físico do escritório, como a temperatura, auxiliam a mensurar seu efeito sobre a saúde, bem-estar e produtividade dos trabalhadores. Avanços tecnológicos e de fácil manuseio nos dão acesso a estas informações.

Para mais informações clique aqui