GBC Brasil participou do diálogo com Comitês

Compartilhe:

Facebook Twitter Google+ LinkedIn Email

Publicada em: 28/11/2014

Rio 2016 estreita diálogo com 30 organizações da sociedade civil

Representantes de ONGs e movimentos sociais debateram temas ligados à organização dos Jogos, como operação das instalações e acessibilidade

O Comitê Rio 2016 quer estreitar cada vez mais o diálogo com a sociedade civil. Para isso, recebeu nesta semana representantes de mais de 30 ONGs e movimentos sociais, que participaram da 2ª edição da Oficina de Diálogo, uma iniciativa do Comitê Rio 2016, em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), em busca da construção coletiva de Jogos mais sustentáveis.

"A grande conquista desta oficina é manter o diálogo aberto com a sociedade civil. Temos um espaço aberto para receber sugestões e críticas de todos. É muito importante termos esse retorno da sociedade e sabermos quando estamos indo na direção certa e onde podemos melhorar", explica Tânia Braga, gerente de Sustentabilidade, Acessibilidade e Legado do Comitê Rio 2016.

Em dois dias de encontro, foram debatidos temas como operação das instalações, gestão de resíduos, acessibilidade, educação, voluntariado, processo de compras e alimentação. Coordenadora de Práticas Empresariais e Políticas Públicas do Instituto Ethos, que se propõe a disseminar a prática da responsabilidade social empresarial, Ana Luiza Silva deixou o encontro satisfeita com o resultado dos debates.

"É um espaço muito importante para dialogar com a sociedade e o formato das discussões permite verdadeiramente a troca de informações entre todos. É muito bom perceber esse interesse do Comitê de ouvir a sociedade. Nosso desejo é ter cada vez mais participantes nestes encontros", destaca Ana Luiza, que também participou da primeira oficina, realizada há um ano, quando foi discutido o plano de sustentabilidade dos Jogos.

"Foi muito animador perceber que muitas sugestões que foram feitas no ano passado foram adotadas, principalmente na área de transparência, que é uma demanda da população. Tivemos até uma discussão específica sobre esse tema", completa.

Representante da Associação dos Catadores do Aterro Metropolitano do Jardim Gramacho (ACAMJG), Tião Santos também elogiou a iniciativa.

"O Brasil vai receber os Jogos, que são eventos grandiosos, e vão envolver milhões de pessoas, e é louvável vel a preocupação de discutir com a sociedade de que forma queremos organizá-los. De uma maneira ou de outra, todos nós estamos ligados aos eventos. É muito bom ver diversas pessoas de áreas diferentes contribuindo", diz Tião, que é protagonista do documentário ?Lixo Extraordinário?.
A próxima edição do encontro está prevista para o segundo semestre de 2015. E a expectativa do Comitê Organizador é aumentar o número de participantes.

"Estamos de portas abertas para receber cada vez mais organizações. Quanto mais participantes tivermos, melhores serão os níveis das discussões", destaca Tânia Braga.

No período entre as oficinas, o Comitê Rio 2016 realiza reuniões com as organizações para debater temas específicos relativos à preparação para os Jogos.


Fonte: http://www.rio2016.com